sábado, 12 de março de 2011

Cicloaventura pela Serra da Canastra (2º CarnaCiclo)

 
   Fala galera! Seguindo o que já está se tornando uma tradição este ano novamente me aventurei pelos caminhos da Serra da Canastra em Minas Gerais. Diferentemente do ano passado este ano fui muito bem acompanhado! Meus caros parceiros do Domingueiras Bike Campinas e do MTB Jaguariúna foram os amigos de pedal desta vez! Então vamos aos nomes dos caveiras (os apelidos e as histórias... e tem cada história... eu conto logo abaixo!).

1 - Adriel, não faltaram risadas hein Prateado! kkkkk
2 - Albert, surpreendeu no pedal! Caveira na descida!
3 - Ciça, digamos que ela tem um segredo para afugentar o frio, risos
4 - Denis, risos, de mim não vou falar nada não! Os outros é que falem. kkkkk
5 - Jota, organizou um show de pedal! "Jota. Brigado Jotaaa!"
6 - Leandro, na volta comeu o misterioso X-EGG! kkkkk
7 - Pedro, capitão Nascimento. Missão dada é missão cumprida!
8 - Sebastião, soldado Matias. Vai ser promovido!
9 - Zwi, bastião da cultura! Gostou? Achei no Orélho. kkkkk

Para quem não entendeu nada siga lendo que eu tento explicar ok!

Preparativos

   Carnaval chegando, a galera louca para pedalar e um lugar com trilhas hiper legais não tão longe daqui... Mistura interessante não?! Então, não podia acabar diferente! Pegamos tudo isso, misturamos e colocamos (aqui o maior mérito vai para o Jota é claro!) uma pitada de organização... Depois de tudo misturado o resultado. 2º Carnaciclo na Serra da Canastra!!! 

Dia 05, partida de Campinas e a caminhada na lama!


   O tão aguardado dia chegou. Ebaaaa! Assim nos dirigimos, eu, Pedro e Tião para nosso ponto de encontro na casa da Ciça. Lá nossa queria companheira de pedaladas e de aventuras nos esperava com uma deliciosa surpresa! Esfirras e Kibes  quentinhos que, lógico, não recusamos é claro! Aproveitamos para colocar o papo em dia, falar sobre o tempo e nossas expectativas sobre a aventura... Terminada a conversa e com todo mundo satisfeito partimos para Jaguariúna para encontrar o restante do pessoal na casa do Jota.

   Chegando em Jaguariúna fomos as apresentações! Conheci o Leandro e o Adriel (duas figuraças do MTB!!!) e apresentamos o Tião para a galera! Aguardamos mais um tempinho o Zwi e o Albert chegarem, checamos o resto da bagagem e partimos rumo a São Roque de Minas! O maior trecho deste percurso eu já conhecia da minha viagem anterior a Serra da Canastra, quando acampei em Delfinópolis no Carnaval do ano passado... Vejam abaixo as distâncias aproximadas:




Abaixo seguem as distâncias aproximadas que percorremos...

Cidades Distância entre cidades Acumulada
Campinas 0 0,0
Jaguariúna 28,0 28,0
Mogi Mirim 36,0 64,0
Mogi Guaçu 7,5 71,5
Casa Branca 64,5 136,0
Mococa 37,0 173,0
Arceburgo 16,5 189,5
Monte Santo de Minas 26,5 216,0
São Sebastião do Paraíso 35,0 251,0
Itaú de Minas 36,0 287,0
Passos 18,0 305,0
Capitólio 71,3 376,3
Piumhi 22,2 398,5
São Roque de Minas - Pousada Casca Danta 96,1 494,6


    Partimos da casa do Jota às 01h30 e fizemos uma viagem foi muito tranquila. Pegamos pouco trânsito nos dirigindo para o sul de Minas, mas nossa companheira inseparável, a chuva ("serração mineira", risos), nos acompanhou até a chegada. Algumas vezes mais forte, outras mais fraca... mas sempre presente. Quase chegando ao nosso destino paramos em um posto a beira para "esticar as pernas" com dizem por ai e presenciamos uma cena inusitada! Dois colegas, um em pé, querendo cair no mundo com a sua moto e um outro ainda deitado, provavelmente de recuperando da folia da noite anterior... Até ai tudo normal a não ser pelo afeto demonstrado ao acordar o companheiro dorminhoco que levava repetidos chutes (a famosa bica) para despertar e espantar a preguiça! Bom, não posso dizer que é afetuoso mas que acorda, acorda! risos  

  Pouco tempo depois chegamos em São Roque de Minas e nossa pousada. Descarregamos as tralhas e a maioria de nos dormiu até a hora do almoço para recuperar as forças... A tarde demos mais uma enrolada no tempo e logo depois disso resolvemos fazer uma expedição de reconhecimento, a pé, para verificar como estava o terreno no qual pretendíamos pedalar. Só sei que quem estava mais limpo só não tinha lama no cabelo! hahaha!



   Foi nesta caminhada que a expressão caveira (termo que usamos para tudo que considerávamos difícil e radical) foi cunhada! Surgiu também uma brincadeira entre nós na qual começamos a chamar o Tião de soldado Matias (até que parece né! kkkkk) e o Pedro e o Jota de capitão... (Ok, surrupiamos mais algumas frases do filme confesso!). Imaginem só a enxurrada de piadas e brincadeiras que fizemos depois disso... Foi ou não foi soldado? kkkkk
 


   Depois daquele lamaçal resolvemos fazer um pedalzinho light na esperança de um tempo melhor na segunda. A noite jantamos em um restaurante próximo à pousada, conversamos bastante e fomos descansar mais cedo. Antes disso demos uma passada na cafeteria do Raul, ciclista que veio de SP e se instalou em São Roque com a sua família...

Dia 06, pedal até Vargem Bonita

  
   Acordamos todos de manhã e fomos tomar café. Durante o desejum, e com a chuva caindo, resolvemos realizar um pedal light (hahahahaha!!!) até a cidade de Vargem Bonita.


Decidido isso, e todos devidamente alimentados partimos. A ida até Vargem foi realmente muito tranquila, pudemos aproveitar a paisagem e tirar alguma fotos durante o percurso.
A cidadezinha fica em um vale e na sua chegada tem um decidão de botar medo! No final dela atravessamos o Velho Chico e entramos na cidade. Neste ponto demos uma paradinha para reagrupar a galera e tivemos a chace de conhecer mais um companheiro de pedal, o Valdir, que nos acompanhou durante o pedal. Depois fa galera reunida resolvemos fazer um tour pela cidade procurando um lugar para almoçar. Andando pelo centro encontramos um senhor muito simpático, cidadão típico de Vargem Bonita, cantor, que nos deu uma palinha de seu repertório. Aproveitamos o momento para prestigiá-lo na cantoria e para tirar algumas fotos!

   Exatamente neste momento passaram (e pararam! vixi!) 3 ciclistas com a bikes lotadas de barro da Canastra. Perguntamos onde estavam indo e eles, 2 garotas e um rapaz, nos disseram que estavam indo até a Casca d'Anta... Claro que não perderam a oportunidade de fazer uma pequena gozação com as nossa bikes limpinhas... Naquela hora senti que a moral do grupo deu uma balançada... Mas este encontro serviu para atiçar ainda mais nossa gana por uma boa trilha!

   Nos despedimos daquele senhor (cantor) e do pessoal do MTB e fomos almoçar. Encontramos um restaurante na frente da igreja da cidade e decidimos ficar por ali. Almoçamos tranquilamente e aproveitamos a praça na frente para descansar um pouquinho antes da volta para São Roque... O legal é que fizemos isso ao som do forró da Lagartixa! Vai o refrão ai para curtirem também!!! kkkkk

    "Ele não é gay, ele não é bicha ele só tá dançando a dança da lagartixa..."

   Cara, impagável a música! Imagina o refrão repetido umas cem vezes, com a galera cantando e dançando no meio da rua! kkkkk, acho que nunca mais vou esquecer a letra! kkkkk "Ele não é g..." ops! Deixa prá lá!
    Descansados resolvemos partir! Levantamos acampamento e pegamos o caminho de volta. Depois de enfrentar a subidinha (ufa!) na saída da cidade pedalamos mais um trecho até o trevo da cidade. Chegando lá decidimos retornar pela terra para sujar um pouquinho as bikes né! Assim decidido enfrentamos a nossa segunda aventura (primeira em cima da magrela) na lama! No início a trilha, apesar de escorregadia, não estava muito pesada não, mas com o passar dos quilômetros começamos a enfrentar o barro pesado. Só sei que de tempos em tempos tive que parar a bike para destravar a relação e a rodas (isso mesmo! as rodas!) que ficaram travadas devido a quantidade de barro que grudava nelas! Apesar da dificuldade e dos tombos, da Ciça, do Albert e do Valdir (esqueci alguém?) por causa do chão que mais parecia um sabão não tivemos maiores contratempos. No finalzinho da trilha, quase chegando em São Roque, enfrentamos o pior trecho da trilha com a lama impedindo qualquer tentativa de pedal (só o caveira do Leandro passou pedalando no trecho mais hard!). Enfrentados os desafios chegamos na pousada de alma lavada (pensando no trio de bikers que encontramos em Vargem) e de corpo sujo! E bota sujo nisso! risos
  
Já na pousada, depois do banho tomado e das bikes limpas, resolvemos variar o cardápio e pedimos lanches para comer! Foi ai que surgiu o causo do X-EGG! Todos pedimos lanches "tradicionais" para comer, tipo frango com bacon, X-TUDO mas um de nós resolveu diversificar né Leandro. kkkkk Ele pediu um singelo X-EGG mas acabou comendo um um X-Milho mesmo. kkkkk Explicando melhor o X-EGG não tinha ovo! Pode isso? Vixi! Bom, a segundo causo envolvendo comida foi meu! Ai ai ai ai! Mas este fica para daqui a pouco, para a viagem de retorno!

   Depois de muita zoação fomos dormir pensando no derradeiro dia! O pedal até a parte alta da Casca d'Anta!

Dia 07, visita a Casca d'Anta

    No dia anterior tivemos a oportunidade de fazer amizade com  um grupo de jipeiros de Bauru! O pessoal é gente finíssima como diria eu mesmo! Conversamos sobre as nossas aventuras e sobre nossas paixões! É claro que não podia faltar na conversa a chuvarada que insistia em cair e a lama que estava por todo lugar que passávamos... Foi ai que eles resolveram nos ajudar no pedal do dia seguinte! Explicando melhor, até a subida da encosta da montanha que leva a entrada do parque da Serra da Canastra existe um trecho muito ruim de estrada de terra de uns 3 km aproximadamente! O pessoal do jipe, que adora um barrinho para enfrentar com os possantes, resolveu nos ajudar com a travessia deste trecho... Não nos fizemos de rogados (já conhecíamos aquele trecho da caminhada do primeiro dia) e aceitamos a carona até o início da subida de 5 km! Assim arrumamos um pretexto para dar uma voltinha nos jipes também né! risos

Assim, acordamos bem cedo e ajeitamos as bikes na carretinha deixando ela preparada para engatar no jipe! Demos uma acelerada no café para não atrasar nosso companheiros e embarcamos! Como o trecho era curto chegamos rápido ao pé do morro, descarregamos as bikes e agradecemos enormemente a cortesia! Fizemos os últimos ajuste no equipamento e começamos a subida! Infelizmente devido ao trecho escorregadio e esburacado que passamos o cambio da bike do nosso colega Adriel sofreu uma pequena avaria! Mas missão dada é missão cumprida né Prateado! Caveira que é caveira sobe morro com lama mesmo com marcha faltando!

Assim, apesar deste pequeno contratempo enfrentamos 5 km de subida e um desnível de mais de 600 metros rumo a entrada do parque na parte alta da Serra da Canastra com o objetivo de atingir a Casca d'Anta. Na subida, para variar, tivemos que lavar as bikes 2 vezes para desgrudar o barro (mais precisamente argila) que insistia em tomar conta da relação da bike. E olha que isso não foi preciosismo não viu! Se não tirasse acredito que o material não ia dar conta não... (meu conceito de barro mudou depois disso). Foi cunhada até uma nova expressão (fala ai Albert, rsrsrsrs) que diz o seguinte: "Não quer barro? Vai pedalar no Taquaral!" kkkkk Usamos esta pérola no pedal inteiro para brincar uns com os outros!

   Depois do sobe sobe sobe chegamos finalmente a entrada do parque. Pagamos a entrada (R$ 6,50 por pessoa) e continuamos o pedal! Pedalamos por paisagens lindíssimas e, desta vez, sem a nossa companheira chuva até chegar a nascente do rio São Francisco.


   Aproveitamos para tirar algumas fotos, e a Ciça para abraçar o Santo (isso não seria um pecado??? risos), antes de continuar o pedal até a cachoeira. Durante o pedal pude contemplar o quão magnífica é a natureza que nos cerca... Pena que este equilíbrio seja tão tão tênue nos dias de hoje com a exploração desenfreada dos recurso naturais do planeta... Considerações a parte foi um momento legal para refletir sobre a vida, sobre os nossos desafios do dia a dia e para contemplar a natureza.

   Acompanhando (ou tentando né Jota, risos) meu recente mas já grande amigo Jota chegamos no Curral de Pedra antes do pessoal. Aproveitamos para tirar algumas fotos e para conversar sobre a nossa sorte de não estar pegando chuva durante o pedal... Reunida a galera resolvemos comer alguma coisa antes de continuar o pedal até Casca d'Anta. 

   Continuamos a caminhada, ops, pedalada, e chegamos finalmente a parte alta da Casca d'Anta! Posso garantir que o lugar é realmente tudo aquilo que disseram, ou seja, maravilhoso! Imaginem um local cercado de vegetação nativa, com um rio de águas límpidas e uma cachoeira enorme caindo de mais de 180 metros de altura! Imaginou? Então esqueça ok! Tem que ir lá pessoalmente para ver com os próprios olhos o que estou dizendo! Aproveitamos bastante os encantos do lugar, comemos bastante, enchemos as mochilas de hidratação com a água da montanha e iniciamos o retorno!

   A volta também foi tranquila, bem mais leve que a ida (pelo menos dentro do parque porque a trilha estava melhor e não encontramos subidas fortes) o que facilitou o pedal... Chegamos a portaria do parque aproximadamente 18h20, no comecinho da noite, (Caveiraaaaa!) e preparamos os faróis para a descida que iríamos enfrentar... Leandro, Ariel e eu descemos primeiro. A galera aproveitou o hiper, mega, master farol do Jota e desceu na cola dele sem maiores problemas... Descendo com o meu farolzinho meia boca acabei alcançando uma Tucson que tinha passado pela gente. Quase no final daquela piramba vi o carro deslisando perigosamente de lado! Juro que ele só parou a um metro da borda da montanha... O cara tinha sangue frio... Admirei isso... eu tinha pulado fora! kkkkk

   Como se no dia não tivéssemos  tido grandes aventuras pegamos ainda, a uns 500 metros do asfalto, o pior barro do trajeto! Mas enfrentamos de boa e mesmo sem tomar banho fomos jantar né, porque ninguém é de ferro!

   Certamente este foi um dos melhores pedais que já fiz, tanto pelos desafios quanto pelas paisagens naturais que pudemos presenciar... Sem falar das companhias é claro né pessoal!!!

Dia 08, o retorno para casa!

   No dia anterior tivemos a providencial ajuda de uma WAP para desincrustar todo o barro das magrelas... Assim as embarcamos todas limpinhas para a volta! Fizemos uma viagem tranquila de retorno, sem muito trânsito mas com uma breve mas forte chuva perto de Itaú de Minas. Aproximadamente na metade do caminho de volta paramos para almoçar em um restaurante na beira da estrada... Lembra do X-EGG do Leandro? Então, agora ele conseguiu comer um com a ajuda do Pedro! (Fala ai Capitão! kkkkk). Seguinte, tem que ser no popular com a galera mesmo. Não adianta enfeitar que o rango não sai não. Vejam o meu caso. Estava com sede pedi uma água para o garçom da seguinte forma: "Amigo, vê uma água sem gás e na temperatura ambiente para mim". Nesta hora percebi olhares atravessados que partiam da mesa para mim. Sem entender nada mas com o sentimento que algo tinha acontecido fui prontamente socorrido pela Ciça com a singela expressão (Ela olhava para o garçom enquanto dizia) "sem gelo". kkkkk. Olha ai a última bola fora da ciclotrip! kkkkk. O garçom não entendeu o que era água na temperatura ambiente... Vixi. Falha nossa!!! kkkkk. Imagina só se não me zuaram um pouquinho! kkkkk Conclusão: Água na temperatura ambiente com X-EGG nem pensar!!! É pedir e passar fome! risos

   Depois disso continuamos o percurso e chegamos finalmente em Jaguariúna encerrando nossa aventura! Valeu demais pessoal!!! Foram muitas risadas, muita diversão e, principalmente, muito companheirismo e amizade em nosso pedal! Valeu Adriel, valeu Albert, valeu Ciça, valeu Jota, valeu Leandro, valeu Pedro, valeu Sebastião e valeu Zwi. Vocês foram supimpas! (nossa, existe esta palavra ainda? risos). Foi uma honra participar deste segundo CarnaCiclo na Serra da Canastra com vocês!

Cliquem na imagem acima para visualizarem as outras fotos!


Vejam os outros relatos desta aventura!


Blog do Pedro Barreto!

Fotos e GPS do Sebastião! [1] [2] 

Abração pessoal e até a próxima! 

Denis Rodrigues.


11 comentários:

Pedro Barreto disse...

Grande Dênis, parabéns mais uma vez pela postagem! É só ler para relembrar cada detalhe da viagem show de bola! ;-)

E parabéns pelo upgrade no blog!

Abraços e boa semana!

Pedro

j_ricardo_melo@hotmail.com disse...

Muito bom soldado!!! Brincadeiras a parte, muito bom o seu relato e as fotos também..rsrsrs

Parabéns e aguardem o 02º Ciclotour Serra da Canastra no Vale do Céu!!!
E torceremos para ser sem chuva!!!

Abraço

Helen disse...

Fala Denis,
Recordar é viver! Grande relato, grande pedal. CAVEIRA!!!!

Abraço
Tião (Mathias)

Lilian disse...

Denis, adoro suas postagens! Viajo sempre com elas. Parabéns à todos que participaram da cicloaventura à Serra da Canastra!! Essa foi punk, héin!! Fiquei babando, pena não ter perna pra tudo isso! Bjs, tiro o meu chapéu pra todos vcs!!

Lilian disse...

Denis, adoro suas postagens!! Viajo sempre com os seu relatos. Parabéns a todos que participaram da cicloaventura à Serra da Canastra!! Essa foi punk, héin!! Fiquei babando, pena que não tenho perna pra tudo isso! Bjs, Lilian

Lilian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Denis Rodrigues disse...

Olá pessoal, tudo bem!

Muito legal saber que gostaram do relato. Ufa, escrever dá um trabalhão danado! kkkkk! Pedro, Jota, Tião, foi demais pedalar com vocês! Nossa cicloaventura foi demais mesmo!!! Lilian, obrigado pelo comentário! Estamos sentido sua falta e a do Anthony nos pedais de domingo! Apareçam ai para pedalar com a gente ok!

Um grande abraço.

Denis.

cecilia disse...

Oi Dênis, ficou muito bom o relato, mas tem que prestar mais atenção na procedência das coisas que come, as esfirras e kibes eram da melhor casa de comida árabe de Campinas: "PAPAI SALIM"!!
Belas fotos, Beijos
ciça

Denis Rodrigues disse...

Olá Ciça,

legal que gostou do relato! No meio do ano faremos outro não?! Quanto a procedência das esfirras já corrigi o engano ok! Risos...

Abraços.

Denis.

Nailane disse...

Nossa, mais um passeio aventureiro!
Puxa, muito interessante os relatos Dênis, fiquei imaginando em que tempo você se dedicava para anotar tudo isso, por que são tantos detalhes, falas, frases do dia! rsrs
As fotos selecionadas, ficaram muito bonitas como da outra vez, senão melhores!
Que paisagens e...Quanta lama!! Minha nossa! rsrs. Vocês são bravos guerreiros hein?! Adorei a foto do relevo da região e de todas as que a galera, em quantidade maior, estava toda reunida e cada um com suas respectivas bikes! Dá vontade de ter essa coragem e pegar a rabeira pra ir junto! rsrs
O "ar" de todos parece sempre discontraído e radical! =)
Ver tais coisas nos dá vontade de viver assim, intensamente, fugir de tudo que prende a rotina!
Parabéns aos guerreiros de plantão!

Denis Rodrigues disse...

Olá Nailane,

nossa! Obrigado pelo super comentário ok! Realmente o as trilhas que fizemos tinham muito barro... mas também muita belezas!!! A Serra da Canastra é um lugar muito bonito mesmo! Quem sabe um dia você se anima e começa a pedalar também? Garanto que vai adorar! (-;

Abraços. Denis.